Início Próstata Elixir Testemunhos História Factos Webshop
 

Próstata – um problema masculino

Nos últimos tempos, cada vez mais se escreve e se diz sobre uma das doenças da civilização moderna: a hipertrofia da próstata.

A doença da próstata que mais tememos é o cancro da próstata. É por esta razão que o teste de rastreio é recomendado. O objectivo é descobrir a doença antes que os sintomas se desenvolvam. Um dos métodos é através do exame rectal, em que um médico sente com o dedo (através do recto) qualquer endurecimento e saliências na superfície do órgão.

Um outro teste utilizado na detecção do cancro é um teste de PSA (Antígeno Prostático Específico), que mede o nível de PSA no sangue. A concentração de PSA no sangue não pode ultrapassar 4 ng/ml, contudo, é superior no caso de ligeiro aumento da próstata, bem como na inflamação desse órgão. Estatísticas demonstram que 50% dos homens com 50 anos ou mais sofrem de doenças da próstata e, o mesmo acontece com 75% dos homens com 80 anos ou mais. A ‘American Cancer Society’ (ACS) recomenda que os exames rectais e testes de PSA devem ser feitos anualmente para homens com mais de 50 anos.

Se um parente próximo (pai, irmão) foi diagnosticado com cancro da próstata, estes testes devem ser iniciados aos 45 anos de idade. Um traço característico de funcionamento inadequado da próstata é a necessidade persistente de urinar. Qualquer perturbação na micção deve causar preocupação. Se usa o WC muitas vezes, inclusivé durante a noite, se tem de produzir esforço ou tensão ao urinar, se o fluxo urinário é interrompido e a força com que sai é fraco, tudo isso pode significar que a próstata aumentou.

Quando a próstata aumenta, ela aperta em torno do trato urinário, que é a causa de problemas em urinar. Os urologistas são hoje muito cuidadosos em decidir operar de imediato em casos de próstatas que sofram aumento. Uma operação que, apesar de na maioria dos casos melhorar a condição do paciente em relação ao desenvolvimento em si do tumor da próstata, traz muitos constrangimentos ao homem. Acima de tudo e, em muitos casos, essa operação provoca impotência. Cerca de 80% dos homens depois de uma operação de próstata sofrem de impotência.

A perda de potência sexual ocorre provavelmente como resultado de uma concentração reduzida de testosterona no sangue. Outro efeito colateral indesejável de uma operação de próstata é a micção descontrolada - muito embaraçoso para os homens. A fim de evitar a impotência e o descontrolo de urina os médicos recomendam a chamada terapia adicional, um tratamento de sumo de romã.

 

 

Verdades e mitos sobre o cancro da próstata

Entrevista a Marianna Brzeziñska


2007-11-13

Fonte: Revista polaca ‘Zyjmy Dluzej’ (Viver mais), n.º 11/2007

Próstata - uma glândula que é um problema para muitos homens quando aumenta - é um órgão com muitos mitos em seu torno. Sólidos conhecimentos sobre a mesma podem minimizar o risco de uma ameaça grave para a saúde ou vida.

 

Sensação de pressão constante sobre a bexiga pode indicar problemas de próstata?

Sim. Este é um dos sintomas mais característicos da doença. Mas não o único. Qualquer perturbação da micção deve causar preocupação. Se usa o WC muitas vezes, inclusivé durante a noite, e se tem de produzir esforço ou tensão ao urinar, se o fluxo urinário é interrompido e a força com que sai é fraco, isso pode significar que a próstata aumentou. Quando a próstata cresce, ela aperta em torno do trato urinário, que é a origem de problemas em urinar. Com o avanço da doença, urinar torna-se um grande problema; o jacto de urina quebra-se na fase final, porém, isto não quer dizer que a bexiga se esvaziou completamente. Pelo contrário, o que então acontece é a embaraçante e incontrolável incontinência urinária.

Alta concentração de PSA no sangue significa um tumor?

Sim/Não. O antígeno próstatico específico - PSA - é uma proteína produzida pelas células da glândula da próstata. A sua concentração no sangue não deve execeder 4 ng/ml. Um aumento da concentração de PSA pode significar o desenvolvimento de um tumor, mesmo que seja tão pequeno que seja difícil de detectar através do exame rectal. O nível de concentração de PSA pode ser elevado também em outras doenças da próstata, ligeiro aumento da próstata ou em alguma condição ou situação inflamatória. Devido à última destas razões, o teste de PSA apenas é realizado 48 horas após o exame rectal, pois qualquer irritação poderá aumentar a concentração da referida proteína.
Estes resultados, contudo, não são sempre fiáveis. Algumas vezes, homens que apresentam níveis de PSA normais têm cancro da próstata e, alguns cujos resultados não eram bons têm uma próstata saudável.

Um tumor recém-descoberto deve ser removido imediatamente?

Não. Paradoxalmente, a resposta é não. Quando um tumor é descoberto, deve ser cuidadosamente observado. Em muitos casos, o cancro da próstata se desenvolve muito lentamente e não cresce para um tamanho grande - razão para esta abordagem médica em não tratá-lo. Isto acontece, particularmente, em casos com homens mais velhos. Todos os métodos de tratamento, a terapia hormonal ou radioterapia, têm efeitos colaterais negativos sobre o funcionamento do aparelho sexual do homem. Esta forma de ‘não-tratamento’ não significa que a doença deva ser ignorada.

Deve ser observado de perto; frequentes visitas ao urologista e testes regulares são essenciais. Se eles indicam um crescimento do tumor, o tratamento deve começar.

Todos os homens sofrem de hipertrofia da próstata?
Sim/Não. Evidentemente, há casos de homens que não tiveram este problema, mas a maioria dos homens mais cedo ou mais tarde sofre com isso. Cerca dos 50 anos de idade, o organismo do homem começa a passar por alterações hormonais relacionadas com o envelhecimento, das quais resulta a hipertrofia prostática suave. As estatísticas afirmam que 50% dos homens com idade igual ou superior a 50 anos, sofrem de doenças da próstata, 75% dos homens com idade igual ou superior a 80 anos, e 90% dos homens com idade igual ou superior a 90 anos.

Após a remoção da glândula prostática, a actividade sexual torna-se difícil?

Sim. Isto está relacionado com danos nos nervos de ambos os lados da glândula. Porque estes nervos são responsáveis pela erecção, após as operações os pacientes têm problemas de erecção. A continuação do tratamento também provoca distúrbios sexuais. Durante a radioterapia, cerca de 65% dos homens sofre de problemas de erecção, os quais melhoram cerca de um ano após a radiação. A braquiterapia (uma das técnicas de radioterapia, que consiste na radiação directa de tumores através da colocação da fonte de radiação no tumor ou perto dele), ou o tratamento hormonal também tem efeitos colaterais similares. Em particular, a terapia hormonal leva a uma diminuição significativa, ou mesmo à perda do impulso sexual. Muito provavelmente, isto é resultado de uma diminuição significativa da concentração de testosterona no sangue. A ligeira hipertrofia da próstata também pode prejudicar a erecção, logo, apelamos a uma conversa honesta com o seu médico, que irá propor a necessidade de uma terapia adicional.

A fim de examinar a próstata não há necessidade de um exame rectal?

Não. Justamente o oposto. Um exame rectal é uma forma fundamental de examinar a próstata. É especialmente recomendado porque é o caminho mais próximo à próstata, e pode descobrir se há tumores, esclerose, proliferação ou assimetria na próstata. Graças a este exame, um urologista pode facilmente sentir qualquer anormalidade na construção da próstata. Apesar de ser desagradável e desconfortável para o paciente, não deve causar qualquer receio de resistência psicológica. Não é doloroso e permite obter informação básica e muito importante. É um exame usado universalmente. No entanto, os exames rectais apenas permitem examinar a parte externa da próstata. Alterações relacionadas com a doença, que podem estar escondidas dentro da glândula exigem outros métodos de diagnóstico. Outros testes incluem a ultra-sonografia do trato urinário, endoscopia e urofluxometria.

Complicações pós-cirurgia da próstata incluem a incontinência urinária?

Sim. Num grau maior ou menor, ela aparece em todos os homens depois de uma cirurgia da próstata. Também pode aparecer após quimio ou radioterapia. Como consequência da remoção cirúrgica da próstata, a incontinência urinária aparece, causada pela falta de força do esfíncter. Durante a cirurgia, o esfíncter interno, situado na ponta da próstata, muitas vezes é danificado. Não é devido a erro médico, mas ao facto de ser muito difícil separá-lo da glândula removida. Após a radioterapia, por outro lado, os homens sofrem de incontinência urinária, devido à urgência urinária. A urina vaza constantemente porque os músculos enfraquecidos do esfíncter são incapazes de mantê-la na bexiga. Na maioria dos homens, a incontinência urinária causada pela remoção da próstata passa depois de 6 a 12 meses. Perdura um pouco mais após tratamento com radiação; provavelmente, está relacionado com uma pior regeneração dos músculos e nervos que foram tratadas com radiação. Independentemente do motivo, é importante esvaziar regularmente a bexiga a cada três horas e evitar bebidas com cafeína, cerveja, pois são diuréticas. A fim de reduzir o stress relacionado com esta questão, é recomendado o uso de pastilhas de protecção ou pinças penianas especiais. A braçadeira torna impossível vazar urina, porém, não pode ser usado por mais de algumas horas por dia, uma vez que danifica a pele e os tubos dentro do pénis. A incontinência urinária pode ser tratada com injeções de colagénio no colo da bexiga e na sub-parte da bexiga no tracto urinário. O colágeno melhora a elasticidade das fibras e músculos ao redor da bexiga. É também benéfico efectuar os exercícios de Kegel, que que reforçam a musculatura do chão pélvico, apertando-o e relaxando-o por pelo menos 20 minutos.

A hipertrofia suave da próstata é um sinal para uma cirurgia imediata?

Não. A hipertrofia suave da próstata pode ser tratada clínica e cirurgicamente. Com os primeiros sintomas, recomenda-se o uso de medicação para aliviar o problema, os chamados alfa-bloqueadores. O seu objectivo é diminuir a tensão na musculatura do trato urinário, reduzir o inchaço e reduzir o congestionamento no colo da bexiga, melhorar a elasticidade da próstata e obstrução da bexiga. O urologista também pode recomendar medicação para diminuir o tamanho do adenoma (tumor benigno glandular). Há também uma grande selecção de medicamentos naturais que podem ser comprados ao balcão. O seu objectivo é aliviar os problemas relacionados com as primeiras fases de hipertrofia da próstata. Infelizmente, eles não funcionam para todos os pacientes.

 

Proteger a fertilidade

A próstata tem o tamanho e o formato de uma castanha. Quando maduro, mede cerca de 3 cm de largura e pesa cerca de 15-20g, dependendo da ‘construção’ de cada corpo humano. Esta glândula está localizada abaixo da bexiga e envolve o aparelho urinário. Se ela começa a crescer, gradualmente se aperta ao redor do aparelho urinário, tornando-se mais difícil para urinar, entre outras coisas. Para o correcto funcionamento e crescimento da próstata, ela precisa de testosterona - a hormona produzida pelos testículos. A próstata produz um líquido contendo glicose, que nutre e protege os espermatozóides. É, portanto, responsável pela qualidade da semente humana e da fertilidade.

 Marianna Brzeziñska

 

 


ASEPSIS, LDA
Caminho da Lombada, 28-A
9050-284 Funchal

tel. 964984488